O Marshall Plane Crash foi um acidente aéreo que ocorreu em 14 de novembro de 1970, perto de Huntington, no estado americano da Virgínia Ocidental. Naquele dia, o voo Southern Airways 932 caiu enquanto transportava membros da equipe de futebol americano da Universidade Marshall de volta para casa, após um jogo em Greenville, Carolina do Norte.

A bordo do avião, um DC-9, estavam 37 passageiros e cinco tripulantes. Infelizmente, ninguém sobreviveu ao acidente. A tragédia gerou comoção nacional e deixou a cidade de Huntington em luto. Muitas famílias e amigos das vítimas sentiram a dor da perda e as marcas do acidente ficaram por muito tempo na cidade.

As investigações do acidente identificaram uma série de fatores que contribuíram para a queda do avião. O principal foi o erro de navegação da tripulação, que não seguiu corretamente as instruções do controlador de tráfego aéreo. Também foram apontados problemas técnicos no avião e condições climáticas ruins na área do acidente.

A investigação concluiu que um dos motores do avião havia falhado e que o outro não teria sido capaz de manter o voo, devido ao excesso de peso. A tripulação tentou fazer um pouso de emergência, mas acabou caindo em uma área arborizada perto de Huntington.

O Marshall Plane Crash foi uma das maiores tragédias aéreas da época e deixou marcas profundas na história da cidade de Huntington e da Universidade Marshall. Em homenagem às vítimas, várias iniciativas foram criadas, como a construção de um memorial e a organização de uma semana de lembranças, que acontece todos os anos.

Apesar das mais de quatro décadas que se passaram desde o acidente, o triste episódio ainda é lembrado por muitos como uma das maiores tragédias aéreas da história dos Estados Unidos. Para as famílias e amigos das vítimas, a dor da perda nunca será superada, mas a cidade de Huntington e a Universidade Marshall continuam a honrar a memória dos que morreram no Marshall Plane Crash.